Fotografia, Suzana Guimarães

sábado, 5 de agosto de 2017


É óbvio que ele me viu, parada no semáforo, a primeira da fila, meu carro totalmente à esquerda na avenida e ele estava esperando do outro lado o momento de fazer uma conversão à esquerda dele, também. Conversão que os brasileiros demoram a entender e aceitar como normal... ele tinha os olhos fixos para passar, claro que me viu. Eu vi o carro dele, também branco, passando, eu só vi porque ele passou ao meu lado, eu tinha um semáforo para esperar, ele, não. Tenho certeza de que era ele! Meu coração ficou pequenininho porque eu sei, ele me odeia. Às vezes, eu faço merda, eu sei, eu fiz.
E a vida se vai... água escorrendo.


Agosto, 8, à tarde.