Suzana Guimarães Lily, by LRGM

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

O deserto está em águas... Devem ser as minhas.

Fevereiro, 28



Cinco meses... A morte é uma espécie de revolução. O que fazia sentido e parecia enorme torna-se lembrança que não pesa; o que era só detalhe, pode tombá-lo ao chão. 

Eu disse que gostava de diários? Não, eu não disse.



Fevereiro, 28/29

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Iria escrever cartas para vários destinatários, mas descobri que tenho poucos. Daí, decidi escrever para um só. Porém, ando pensando em um monólogo.

Eu nem pensava em publicar um livro. Era janeiro e decidi aproveitar as férias na faculdade para descansar. 2013 marcou a ferro e eu queria muito mesmo um tempo para mim. Porém, na primeira semana, Roberto Meneghini teve a ideia e eu embarquei. 

Já comecei o segundo livro e pretendo publicá-lo no final do ano. Não irei parar. Alimentei muitas pessoas e sei disso porque elas me disseram, no entanto, não quero mais. Daí, diante disso, os "alimentados" que merecem todo o meu alimento de graça ficaram na pior, mas terá que ser assim. A vontade de escrever continua e enquanto ainda eu a tiver haverá livros. 


Fevereiro, 23


segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Espero algumas horas e irei me assentar. Essa decisão cabe a mim e só eu posso fazê-la acontecer. A locomotiva sem paradas, fumegando pelas estradas, herança do meu pai, decidi parar. É preciso pausas. Ninguém as vê porque acontecem na surdina. Quem viu a flor do seu jardim abrindo-se? Pouquíssimos. Talvez, um, empunhando sua câmera fotográfica. A verdadeira existência é um conjunto de pausas e toda locomotiva tem que parar n`alguma estação para que tanto motorista quanto passageiros possam mudar o ritmo. Quando se dirige por longo tempo, em alta velocidade, pelas estradas, e para, dá para sentir: seu corpo continua acelerado - e você nem correu, sua mente está muito além de você, até suas mãos tremem, ansiosas. Viver não é estar o tempo todo em velocidade, mesmo que seus desejos mal caibam em si.



Fevereiro, 17

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Eu não a via há um semestre ou pouco mais. Seu corpo dobrou de tamanho para os lados. Sua voz parece mais ainda enrolada e está com tique nervoso: a cada duas ou três palavras pronunciadas, dá um pulinho, como se soluçasse. Toda em cinza, moletom, os cabelos desgrenhados, conversou por um certo tempo comigo. Sei que ela tem filhos e que um deles tem sério problema de saúde. Ela já me contou sua história. Fiquei olhando para ela e pensando o quanto a gente tem que ser forte nesta vida.


Diários...

Fevereiro, 11
Ele me diz para eu não me estressar com as pessoas. Mas eu não me estresso tanto assim. Eu apenas mudei bastante e considero até uma péssima mudança, no entanto, nem tudo é como gostaríamos que fosse. Não abro mais as portas com suavidade, eu as abro escancarando-as. Não piso mais tão de leve, eu piso com determinação, ainda rebolo ao andar, mas não esbarra, não! Se eu me enfurecer com suas perguntas, posso fazê-lo repeti-las três vezes, fazendo cara de quem não entendeu. Como posso suportar, de forma pacífica, pessoas que me deixam falando com as paredes ou fazendo-me parecer uma tola? Elas terão, pelo menos, o meu desprezo a partir de então. E a minha cara de poucos ou nenhum amigo. Não finja que não me viu, não finja que não me ouviu, não faça promessas que não irá cumprir, não me esnoba. Não venha me dar lição, você é professor do quê? O que você conquistou em sua vida? Você está em posição confortável para isso? Não seja hipócrita comigo, pois não sou cega e só tenho uma vontade: meter a mão na sua cara, nada mais.


Eu disse que gostava de diários?




Fevereiro, 11

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Meu livro: dOloreS Crônicas



Meu livro está disponível no www.Amazon.com para e-books ou www.Lulu.com para livros impressos. E também no www.amazon.com.br


Nota: No Amazon.com e no Lulu.com há um retângulo no alto da página. Digita: Dolores Crônicas e clica em GO. E o livro irá aparecer.



Links diretos:

http://www.lulu.com/shop/suzana-guimar%C3%A3es/dolores-cr%C3%B4nicas/paperback/product-21441581.html

http://www.amazon.com/Dolores-Cr%C3%B4nicas-Portuguese-Edition-Meneghini-ebook/dp/B00ICC4C2K/ref=sr_1_2?ie=UTF8&qid=1392074561&sr=8-2&keywords=dolores+cronicas

http://www.amazon.com.br/s/ref=nb_sb_noss?__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&url=search-alias%3Daps&field-keywords=dolores%20cronicas


Para quem não tem o kindle: 

No site do Amazon, onde você compra o livro virtual, também tem um ícone onde se pode baixar um app (aplicativo, software) GRÁTIS para o seu PC, Android, iPhone, iPad etc. Com esse App você pode ler o livro em seu aparelho eletrônico seja ele qual for com a maior facilidade e conforto!


quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014


Considero arrogância tentar vender a imagem de que se é anjo.





Eu disse que gostava de diários?

Fevereiro, 5

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Há um quê no tatame que afugenta o coisa feia

(arquivo pessoal de Suzana Guimarães)



Hoje, levarei para o tatame: todas as decepções que tive, todas as verdades que vi sem desejar ver, toda a dor de cabeça diária, todos os falsos amigos, todo o meu cansaço existencial e a multa que levei, bobamente. Espero sinceramente que quem me multou tenha uma forte dor de barriga por toda a noite. Amém. Ah, quanto aos outros desejos que ardem em mim, farei segredo.

Fevereiro, 4

Dou-lhe uma colher...

(arquivo pessoal de Suzana Guimarães)


Dizem que gosto de espetar os outros, eu mesma digo! No entanto, é apenas quase um jogo, quase brincadeira, quase fatalidade... eu lhe dou uma colher para receber de você o faqueiro completo que você esconde. Não vivo assim. Não é mania. Gosto da troca do amor. Só faço isso porque quero as suas facas; e eu só faço isso porque vi o brilho escondido do metal. 


Eu disse que gostava de diários?

Fevereiro, 4

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Dançou, meu bem?

(arquivo pessoal de Suzana Guimarães)

Eu disse que gostava de diários? Risos!


A pessoa dança, leva a pior e assusta. Assustou, por quê? Por que assustou-se? Deveria estar acostumada, já vem dançando desde sempre. Fato. "Contra fatos não há argumentos".

Fevereiro, 2



P.S.: seja um cisco no vento!

"Sou todos os cantos em que seu machucado irá bater". Uma das crônicas do meu livro.

(arquivo pessoal de Suzana Guimarães)



Prometi uma surpresa para fevereiro, é meu livro de crônicas. Setenta crônicas, dentre elas, algumas já postadas nos meus blogs nos últimos três anos, porém, revisadas, e também inéditas. Será um E-book. O idealizador do projeto é Roberto Meneghini Salgarello. Definimos que ele seria publicado assim que entrasse fevereiro, mas eu inventei de escrever um pouco mais... o que seria cinquenta virou setenta... um número, o sete, que, particularmente, detesto. Aí você pergunta: "Se detesta, por que assim será?".  Também não gosto de ler no computador. E também dizia que eu só escreveria em papel e hoje só escrevo no meu laptop. Por que será? Porque a gente vai deixando de lado muitas tolices e vai aprendendo que o importante nem sempre vem rico em detalhes. Então, se ele for publicado em fevereiro, ainda estaremos no mês, não é? E ainda estou cometendo o pecado de revisar eu mesma... Beijo!

Suzana Guimarães