Suzana Guimarães Lily, by LRGM

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

A tola e eu.




(arquivo pessoal de Suzana Guimarães - Salt & Pepper hair)


Ontem, eu comentei que iria cortar o cabelo hoje. A pessoa me conhece há menos de três meses. Ela questionou o corte, perguntou se tinha estilo, eu falei, "É o pixie!", ela disse desconhecer. Ela disse que minhas roupas, a cruz no peito, o cinza, tudo, tudo mostrava a cara de alguém sem confiança em si mesmo. Ela havia acabado de me mostrar a extensão nos cabelos loiros, nos cílios e as unhas em gel (nada contra!)... Eu respondi que somente uma mulher muito confiante corta o cabelo bem curto e deixa-o branco. Eu nada tenho contra tinturas, apliques, unhas pintadas. Eu adoro salões de beleza! Mas eu não suporto quem fala demais sobre mim.

Pensei que eu teria alguma reação negativa, após cortar o cabelo e ver os fios cinzas e brancos, e que isso surpreenderia a mim mesma. Nada! É só cabelo e apenas faz conjunto com um todo.

Vou deixá-lo crescer e, se eu não gostar, tenho as opções de pintar tudo ou fazer leves mechas contrárias.

Eu sou cinza e isso é complexo de se explicar.

Ela é uma tola!

domingo, 1 de novembro de 2015

Quando entrei na casa, a dona não me cumprimentou, não me olhou, não me viu, não emitiu um som, mas ele havia estendido um invisível tapete vermelho para eu passar... Quando entrei na casa, a dona fingiu-se de morta, dorminhoca, e eu fiquei na cadeira que ele praticamente sentou-me, inclusive, inclinou-a bastante para eu ficar confortável... Quando entrei na casa, ela, após um tempo, levantou-se, andou pela cozinha, permaneceu na atitude grosseira de não se dirigir a mim, mas ele havia estendido um invisível tapete vermelho para eu passar... e eu fiquei até quando assim desejei. Quando entrei na casa e saí, prometi, jamais, nunca mais. Quando ele vier a minha casa, haverei de estender um invisível tapete vermelho para ele passar e entrar.



Eu disse que gostava de diários?


Noite de Halloween.