Fotografia, Suzana Guimarães

quinta-feira, 16 de março de 2017


​O meu pai teve uma profissão difícil, de risco, em que era preciso estar atento. Ele disse-me várias vezes: "Eu só tenho medo dos ignorantes e dos loucos". 

Faço minhas as palavras dele: tenho medo dos loucos. Tenho medo, principalmente, do psicopata, aquele que se veste de cordeiro, escondendo o lobo traiçoeiro...

Ó Deus, faça-me invisível! Apaga da visão do louco a minha imagem. ​

Ó meu pai, que já se foi, mas que vive em meu coração, na minha mente, falas e gestos, ó, meu pai, preserva-me do homem louco.