Fotografia, Suzana Guimarães

sábado, 23 de abril de 2016

Eu não fotografo. Eu escrevo. As imagens que faço e compartilho são obras de amadora assumida. Não me dou créditos e títulos que não possuo. Fotografo por impulso e, por impulso, publico fotos muitas vezes sem retoques, naturais, eu sem retocar o batom, eu sem batom, minhas olheiras e eu. Publico também fotografias que fiz sem sequer abaixar o vidro do carro. 

Mas, eu escrevo, não é? E sou boa dona da palavra. Sei manipulá-la, sei usá-la, como se jogasse cartas em uma mesa de pôquer (meu pai era ótimo nessa mesa!). 
Pois, eu escrevo, e, quando escrevo, quem me acompanha sabe, há de tudo, do belíssimo ao feio, há o mal, a tristeza, dor e choro; mas também há sedução. Há prazer, riso, amor, ternura. Tesão. Eu não finjo a vida.


O fato é: cada um faz o que quer. Contudo, na prova dos olhos e dos sentires dos outros, muita gente leva bomba.


Eu disse que gostava de diários?
Não, eu nunca disse.
23, Abril.