Fotografia, Suzana Guimarães

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Kit Suzana na madrugada...


Ah, como eu entendo Florbela Espanca! Sei o que ela procurava, pelo que ardia e escrevia, sei de sua tortura e de sua persistência - loucura medida!

Eu disse que gostava de diários? 

May, 25




Sou agora a menina que se esconde na sombra do poste, da árvore, fugindo de todo aquele que pensar em me assustar. Não tenho medo da noite. Tenho medo do susto. 

May, 25




Dispenso aquela procura; dela, nada ganhei além de desbotado sonho de dias melhores. Não restou nem eu mesma. Tornei-me cética e cruel. Antes não ter procurado. 

May, 25




Não venha comigo. Não tenho mãos para pegá-lo. Eu as tenho ocupadas, escondendo meus olhos da crueza da vida e do singelo pensamento de que eu poderia encontrá-lo.

May, 25




A cada passo dado, um tapa na cara. Encontro-me tonta. Já não posso caminhar, já não posso procurar o que nunca existiu. Entrego-me ao pó deste deserto em que habito. Pelo menos ele me envolve, se abre em asas, em sincera acolhida.

May, 25